Um pouco mais tarde mas não atrasado segue a minha visão sobre as tendências de redes sociais para empresas B2B para este ano.

1. Marca Pessoal (personal branding).

Valorize a sua marca pessoal.

Quase ninguém segue páginas de empresas B2B, especialmente no LinkedIn. Perceba que a maioria destas empresas não passam de 500 seguidores e as que possuem centenas de milhares tem características bem comuns: divulgam muitas vagas e/ou tem um número de funcionários muito grande. Qual o motivo?

As pessoas são interessadas em pessoas. Elas seguem pessoas ativas que usam a sua energia para sempre trazer um conteúdo com algo útil e valioso.

No segmento B2B, as vendas geralmente ocorrem por meio de conexões e relacionamentos pessoais; portanto, o trabalho de uma marca pessoal é muito importante. Não é a imagem de uma mega estrela da mídia, mas uma pessoa sincera. As marcas pessoais que mais dão certo são aquelas que lemos as postagens, e parece que você a conhece há muito tempo.

Essa marca pessoal gera leads B2B infinitamente maior do que a publicidade tradicional.

2. Funcionários Defensores (Employee Advocacy).

Os funcionários se tornarão cada vez mais defensores da marca nas redes sociais.

Somente líderes experientes e maduros nas empresas implementarão essa estratégia, o restante continuará a temer que seus funcionários se distraiam nas redes sociais.

As pessoas confiam em pessoas mais do que em marcas, mesmo que não as conheçam pessoalmente.

Se depender da solução da Peepi esta estratégia continuará crescendo. A Peepi é a solução brasileira completa para escalar o engajamento de clientes e colaboradores, transformando-os em Defensores da sua Marca.

3. Vendas sociais (Social Selling).

O método de vendas modernas mais atual continua crescendo.

Vinculado às duas tendências anteriores. Os executivos e vendedores das empresas continuarão usando as redes sociais para compartilhar conteúdo, interagir com clientes potenciais, gerar leads, clientes e negócios.

Em comparação ao ano passado, este método vai parecer mais claro: menos parecido com uma estratégia temporária que serve somente para prospectar, porque o método já passou por seus obstáculos. Para quem tentou automatizar ou extrair e-mails para disparar em massa já deve ter percebido os resultados.

Se depender do meu trabalho, Social Selling vai continuar crescendo por estas bandas. Este ano além de treinamentos e consultoria para empresas (especialmente equipes de vendas) eu passo a prestar mentoria para empreendedores e executivos de vendas B2B.

4. Marketing de influência B2B

O crescimento dos Influencers corporativos

Empresas e organizadores de eventos começaram timidamente a atrair pessoas ativas em seu setor, com uma pequena audiência de 2 a 5 mil pessoas.

Isso difere dos influenciadores do B2C: esses influenciadores corporativos não são os mesmos blogueiros do Instagram mas pessoas da indústria que são respeitadas e consideradas especialistas. Eles devem ser atrair o público de forma não promocional, sem colocar tags utm em seus links, sem códigos promocionais ou qualquer coisa que estrague toda a naturalidade que destrua a confiança.

5. Podcasts.

Esta é uma tendência controversa. Os podcasts existem há muito tempo mas só recentemente começaram a ganhar força com as novas plataformas.

Talvez uma necessidade já que até agora o público-alvo de conteúdo B2B preferia ouvir o vídeo no YouTube, em vez de abrir as plataformas.

Os podcasts no setor B2B geralmente refletem algum tipo de conhecimento específico do segmento.

Vamos ver como essa tendência se desenvolverá mais.

Pra ouvir os melhores podcasts sobre Vendas modernas, vendas sociais, Sales Navigator e LinkedIn confere o meu podcast show Vendas com LinkedIn nas plataformas Spotify, Google e Apple podcasts…

Em resumo

As principais tendências do ano em redes sociais B2B são pessoas e conteúdo multimídia.

Espero que tenha gostado. Acrescente e comente qual você mais entende que pode ser um divisor de águas na sua estratégia este ano.